Veja o que é pesquisa de campo e quais suas principais etapas

A seguir, saiba o que é pesquisa de campo e como ela influencia nos resultados sobre os objetos estudados.

A pesquisa de campo é uma metodologia de investigação baseada na realidade. Por isso, sua aplicação vai além dos aspectos acadêmicos, atingindo até as empresas.

Entender o que é pesquisa de campo e saber executá-la ajuda tanto no seu momento atual quanto no futuro. Para te auxiliar nessa compreensão, criamos um conteúdo com os principais detalhes sobre esse método que mostram por que vale a pena aplicá-lo. Continue a leitura e saiba mais!

O que é pesquisa de campo?

A pesquisa de campo é uma metodologia de investigação focada na observação, coleta de dados, análise e interpretação dos resultados. Todas essas informações são obtidas a partir do ambiente natural ou da realidade onde acontece.

O objeto estudado pode ser variado. Por exemplo, um grupo, um indivíduo, uma população, uma comunidade, um fato ou um fenômeno. Além disso, são investigadas as relações do item analisado.

Após a coleta desses dados, chega a etapa de análise e interpretação, que depende de fundamentação teórica sólida para seja concluída com êxito.

Para que serve a pesquisa de campo?

O grande propósito dessa metodologia é verificar o que o objeto estudado realmente faz, em vez do que ele diz executar. Assim, é possível encontrar divergências entre o discurso apresentado e a realidade. Com isso, há uma visão mais clara do que precisa mudar.

Inclusive, esse é um dos motivos que faz a pesquisa de campo ser uma das principais escolhas para um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Afinal, você, como observado, obtém dados reais e atualizados sobre a sua área de investigação.

Essa característica também faz com que esse método seja utilizado por qualquer área. É o caso da Comunicação, Sociologia, Antropologia, Economia, Política e das Linguagens, por exemplo.

Nessas áreas, o método permite compreender os indivíduos, as instituições, os grupos e as comunidades de forma aprofundada. Ou seja, a partir do entendimento dos diferentes aspectos da realidade.

Quais os tipos de pesquisa de campo?

Quando você escolhe algum tema para seu TCC, você precisa pensar na metodologia que vai utilizar. Ao optar pela pesquisa de campo, está na hora de definir qual tipo aplicará no seu estudo.

Isso porque eles determinarão como a coleta de dados será feita — e isso interfere diretamente no seu artigo científico ou qualquer outro trabalho.

Entenda quais são as possibilidades:

Quantitativa-descritiva

Consiste em uma análise empírica. O objetivo é verificar as características de um fenômeno ou de um fato e isolar as variáveis. Por isso, são muito utilizados questionários, formulários e entrevistas.

Além disso, testes estatísticos e avaliações subjetivas com escalonamento quantitativo são boas opções. Tudo isso serve para:

  • verificar hipóteses;
  • avaliar métodos;
  • descrever populações ou grandes grupos de forma quantitativa;
  • estudar as relações entre as variáveis apresentadas.

Exploratória

Tem o propósito de desenvolver hipóteses e esclarecer conceitos. Por isso, explora o tema a ser estudado para aumentar o conhecimento do pesquisador. Ainda facilita a definição de métodos e técnicas.

Para chegar a esse resultado, diferentes técnicas são aplicadas. Dentre elas, estão: observação, análise de conteúdo e entrevista.

Experimental

É o tipo mais complexo, porque testa as hipóteses e busca as relações de causa e efeito existentes. A amostragem precisa ser bem definida. Por isso, costuma ser calculada por técnica probabilística.

Além disso, também abrange um grupo de controle e a manipulação de variáveis independentes. Um exemplo é a realização de pesquisas do setor farmacêutico, em que algumas pessoas recebem o placebo (grupo de controle) e a amostragem obtém o medicamento real.

Quais as fases da pesquisa de campo?

Para entender como fazer uma pesquisa de campo, você precisa conhecer suas etapas. Elas garantem o embasamento teórico e oferecem as diretrizes que trazem respaldo aos resultados.

Ao mesmo tempo, essas fases também garantem a replicação da observação feita a partir de diferentes aspectos de uma realidade. Elas são as seguintes, por ordem:

  • pesquisa bibliográfica: permite saber qual o estado atual do objeto de pesquisa e os trabalhos já realizados na área. Aqui, uma boa ideia é utilizar o Google Acadêmico, livros e outros sites especializados;
  • definição da metodologia: volta-se para a coleta e a análise de dados;
  • interpretação de resultados: consiste em utilizar o referencial teórico e a ajuda de pesquisadores mais experientes para chegar às deduções mais adequadas;
  • comunicação dos achados: é a apresentação, a publicação ou a defesa do estudo.

Quais as melhores perguntas para pesquisa de campo?

Para ser aplicada da forma correta, essa metodologia deve partir de alguns questionamentos. Essas perguntas devem embasar as suas decisões de estudo e conduzir a sua análise. Veja quais são as principais.

  • Qual é a população ou público-alvo a investigar?
  • Qual será o tipo de abordagem da pesquisa de campo utilizada?
  • Quais são os fenômenos a serem analisados?
  • Quais serão os métodos de medição das variáveis?

Como fazer uma pesquisa de campo?

Para fazer a sua pesquisa de campo, você deve primeiro saber que ela é realizada no ambiente em que está o objeto de estudo analisado. Por exemplo, sua casa, seu trabalho, o hospital etc. Isso porque o objetivo é verificar como as coisas realmente acontecem no dia a dia.

Em seguida, é importante seguir as etapas apresentadas. Lembre-se de complementá-las com algumas informações, como objetivo da pesquisa e planejamento de tempo. Assim que tiver tudo pronto, está na hora de aplicar o estudo.

Veja como fazer uma pesquisa de campo

  1. Defina o tema

    O trabalho começa a partir daí. Afinal, essa é uma forma de delimitar o problema — isto é, a questão a ser respondida — e os objetivos que se pretende alcançar

  2. Explore a fundamentação teórica

    Esboce os procedimentos necessários para executar o estudo. Isso inicia pela fundamentação teórica. Ela é embasada em artigos, livros, documentos oficiais, reportagens, dissertações, teses, entre outros conteúdos. Assim, você contextualizará o problema e encontrará lacunas nele

  3. Avalie a abordagem

    A quantitativa gera um número de informações maior e é realizada com mais indivíduos. Já a qualitativa foca menos quantidade, mas as questões são mais aprofundadas. Tenha em mente que as duas técnicas podem ser utilizadas em conjunto

  4. Analise os dados

    Esse é o momento de refletir, dialogar, estudar, classificar, relacionar e interpretar. Dessa forma, é possível ter uma visão crítica sobre o tema estudado.

Todas essas etapas devem ser complementadas com a formatação do trabalho conforme a ABNT. Assim, você aplica de forma certa a pesquisa de campo e obtém o melhor resultado com o seu trabalho.

Como você pôde ver, a pesquisa de campo tem um papel importante em diversas áreas, sendo fundamental para comprovar o comportamento dos objetos estudados.

Portanto, caso você tenha interesse nessa metodologia, aprofunde seu conhecimento com este conteúdo e comece a colocar em prática para obter resultados mais assertivos.

Gostou do conteúdo? Então, acesse nosso artigo sobre a importância de um planejamento de carreira e aumente as chances de obter sucesso profissional!

Perguntas Frequentes

  1. Qual a diferença entre pesquisa de campo e estudo de campo?

    Os dois termos são sinônimos. Portanto, ambos focam a análise de um objeto de estudo para verificar hipóteses e testar relações.

  2. Quais elementos compõem o relatório de pesquisa?

    O relatório de pesquisa é composto por objetivos, resumo, ficha técnica, análise dos resultados, comparação entre dados, conclusão e próximos passos.

  3. Pesquisa de campo é obrigatória?

    Não, essa é apenas uma das metodologias que podem ser escolhidas. O importante é verificar o que faz mais sentido para a sua pesquisa.

  4. Quais são os métodos qualitativos?

    Os métodos de pesquisa qualitativa costumam utilizar entrevistas e/ou grupos focais, análise de documentos, observação participação, observação não-participante, etnografia e dados audiovisuais.

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade