O que é e como funciona o Fies? Fique por dentro do programa de financiamento estudantil!

Saber como funciona o Fies é fundamental para avaliar se o programa realmente vale a pena e se ele atende ao seu perfil.

Entenda como funciona o Fies e o que você precisa fazer para ser aprovado no processo seletivo do programa!

Fazer uma faculdade é o grande sonho de muitas pessoas. E não é para menos, já que estudos apontam que o salário pode ser até 100% maior após a conclusão do ensino superior. Para muitos, isso representa uma mudança significativa na vida.

É aí que entram os programas de financiamento estudantil, que têm o objetivo de facilitar o ingresso em uma instituição de ensino superior particular, uma vez que deixa as mensalidades mais baratas, com juros bem atrativos.

Um deles é o Fundo de Financiamento Estudantil e é sobre ele que vamos falar hoje. Quer saber o que é e como funciona o Fies? Então, continue conosco e confira a seguir!

O que é o Fies?

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do Governo Federal, criado pelo Ministério da Educação (MEC). Tem como objetivo democratizar o acesso ao ensino superior no Brasil, por meio de um empréstimo que é pago após a finalização do curso.

A ideia é viabilizar o ingresso de pessoas que não têm condições de pagar as mensalidades cobradas por instituições da rede privada. Isso porque esse financiamento tem juros abaixo da média — ou mesmo zerados — de outros empréstimos conhecidos.

Em 2018, o Fies teve uma evolução e passou a oferecer um financiamento com um modelo mais moderno, no qual diversas opções são oferecidas em bancos privados. Ainda assim, todas elas priorizam a opção de juros mais baixos, principalmente para estudantes de baixa renda.

Como funciona o Fies?

As pessoas selecionadas depois do processo de inscrição recebem um auxílio do Governo Federal para custear as mensalidades (ou parte delas) durante o curso, até a graduação ser concluída. Assim que isso acontece, o aluno deverá devolver o valor que foi financiado por meio de parcelas pagas mensalmente.

Durante os semestres, o estudante arca com uma pequena taxa de manutenção do financiamento, estabelecida em contrato, além do seguro de vida exigido no processo de contratação.

Como é o cálculo do financiamento?

O calculo do financiamento está em conformidade com as diretrizes estabelecidas pelo próprio FIES, considerando a taxa de juros anuais de 6,5% ao ano, prazo de carência de 18 (dezoito) meses e período de amortização de até 3 vezes o tempo de permanência como financiado.

Vale destacar que as fases do financiamento foram reduzidas, ou seja, não existe mais prejuízo para as etapas de amortização.

Ademais, os estudantes que atuam em profissões de médico integrante de equipe de saúde da família ou professor da educação básica poderão, conforme o regulamento, realizar o abatimento mensal de 1% do saldo devedor relacionado ao financiamento.

Para exemplificar melhor essas etapas, dividimos em tópicos as 3 fases que compõem o financiamento. Confira:

1. Utilização

Essa etapa inicial abrange o período entre o ingresso do estudante no Fies e o mês anterior ao início da fase de carência.

No decorrer dessa fase, o estudante optante pelo financiamento deve pagar trimestralmente os juros incidentes a esse processo, com um limite de até R$ 150,00.

2. Carência

Nessa fase, considera-se o tempo entre o mês posterior ao fim da fase de utilização e o mês anterior que abrange o início do período de amortização.

Durante esse período, o estudante inserido neste financiamento deve pagar os mesmos juros que são considerados no decorrer da fase de utilização.

3. Amortização

Essa é a última fase do processo e está situada no 19° mês subsequente à fase de utilização.

Aqui, o saldo devedor do financiamento é amortizado, tendo como base o valor apurado de acordo com a aplicação da Tabela “Price”, considerando parcelas mensais, iguais e sucessivas.

Portanto, é estabelecido um prazo de até 3 vezes o tempo de permanência do estudante na condição de financiado.

Quem pode fazer o Fies?

Todo aluno de graduação ou estudante que acabou de concluir o ensino médio pode fazer a solicitação, desde que atenda a todos os requisitos mínimos:

  • Realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM);
  • Obter uma nota maior ou igual a 450 pontos na prova do ENEM;
  • Não zerar a redação do ENEM;
  • Ter renda familiar de até três salários mínimos.

Além disso, existem condições onde os juros são zerados para os estudantes que precisam. As modalidades disponíveis para o financiamento estudantil vão depender da situação da renda mensal familiar do candidato.

Caso você seja um beneficiário da bolsa do ProUni parcial, poderá participar do Fies. Vale a pena para quem deseja obter o financiamento do valor restante da mensalidade da faculdade.

Como funciona a nota de corte do Fies?

A nota de corte do Fies define o candidato que teve a última pontuação na área escolhida. Isso significa que cada curso tem a sua nota de corte específica, incluindo critérios de classificação e desempate.

Para exemplificar melhor esses critérios e ajudar você a entender como funciona o Fies e essa nota de corte, detalhamos, a seguir, as especificações exigidas. Veja agora mesmo:

Critérios de classificação

O Fies utiliza critérios de classificação mediante o grupo especificado na inscrição, mas também abrange outros requisitos adicionais, tais como:

  • Candidatos que não concluíram o Ensino Superior e não têm financiamento estudantil;
  • Candidatos que não concluíram o Ensino Superior, mas que já quitaram financiamento estudantil;
  • Candidatos que concluíram o Ensino Superior sem financiamento estudantil;
  • Candidatos que concluíram o Ensino Superior com financiamento estudantil e quitaram a dívida.

Portanto, o financiamento estudantil exige que os candidatos se enquadrem nesses requisitos para serem contemplados e ingressarem numa instituição de ensino superior privada.

Critérios de desempate

Caso os candidatos fiquem com a mesma pontuação, são estabelecidos 5 elementos de desempate, considerando a ordem a seguir e o seu grau de relevância:

  1. Maior nota na redação;
  2. Maior nota na prova de linguagens, códigos e suas tecnologias;
  3. Maior nota na prova de matemática e suas tecnologias;
  4. Maior nota na prova de ciências da natureza e suas tecnologias;
  5. Maior nota na prova de ciências humanas e suas tecnologias.

Após a aplicação desses elementos listados, é possível desempatar os candidatos e expandir o número de classificados no financiamento estudantil.

Como descubro o resultado do Fies?

Para descobrir o resultado do Fies, os estudantes devem acessar o Portal Fies. Basta seguir o passo a passo:

  1. Acesse o site;
  2. Selecione a opção “Ver meu resultado”;
  3. Preencha o número do CPF;
  4. Digite a sua senha;
  5. Marque a opção de segurança;
  6. Clique na opção “Entrar”.

Após seguir esses passos, a pagina apresentará as informações para consulta. Assim, é possível visualizar se você foi aprovado ou ficou na lista de espera.

Quais os próximos passos após aprovação no Fies?

Depois que todas as etapas forem cumpridas, os estudantes ou fiador devem apresentar documentos (originais e fotocópias) para que seja regularizada a aprovação.

Documentos exigidos ao aluno:

  • Documento de Regularidade de Inscrição (DRI) emitido pela Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento do Fies (CPSA);
  • Termo de concessão ou de atualização do usufruto de bolsa parcial do ProUni, quando for o caso;
  • Documento de identificação;
  • CPF próprio e, se menor de 18 anos de idade não emancipado, CPF do seu representante legal;
  • Certidão de casamento, CPF e documento de identificação do cônjuge, se for o caso;
  • Comprovante de residência.

Documentos exigidos ao fiador (Em casos de fiança convencional ou fiança solidária):

  • Documento de identificação;
  • CPF;
  • Certidão de casamento;
  • CPF e documento de identificação do cônjuge, se for o caso;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de rendimentos, salvo no caso de fiança solidária.

Todos os cursos participam do Fies?

Agora que você já entende melhor como funciona o Fies, é o momento de saber se ele contempla o curso que você pretende fazer.

Listamos, a seguir, os cursos mais procurados no financiamento estudantil:

  • Medicina;
  • Odontologia;
  • Direito;
  • Biomedicina;
  • Relações Internacionais;
  • Arquitetura;
  • Engenharia Mecatrônica;
  • Engenharia Química;
  • Fisioterapia;
  • Engenharia de Computação.

Além das opções listadas, o financiamento está disponível para todos os cursos de graduação cadastrados na página do Fies. Você pode fazer uma consulta de cursos e instituições que fazem parte do programa.

Qual é o cronograma do Fies?

O cronograma do Fies segue 4 etapas, nas quais os estudantes devem seguir conforme os prazos estabelecidos. Confira:

  1. Inscrições;
  2. Resultados Fies e P-Fies;
  3. Lista de espera (não selecionados);
  4. Complementação da inscrição.

Vale destacar que as datas e os períodos podem mudar em cada ano, considerando entradas no primeiro ou segundo semestre. Portanto, os estudantes devem ficar atentos aos prazos vigentes.

Como se inscrever no Fies?

As inscrições abrem duas vezes por ano, no início de cada semestre letivo. Veja, a seguir, como funciona o Fies desde a fase de pré-seleção até a contratação do financiamento.

Pré-seleção do Fies

Primeiro, o candidato vai precisar acessar o site oficial do Fies e informar os seus documentos — CPF e data de nascimento — e criar seu login e senha.

Depois de enviar os dados, o candidato recebe o e-mail e confirma o cadastro no Fies.

Após confirmação do cadastro, o candidato precisa preencher seu perfil com outros dados, indicando o curso e a instituição de ensino que deseja.

Assim que o Fies divulgar o resultado da pré-seleção, os candidatos devem fazer o cadastro no site do Acesso Único. Todos os dados a respeito do financiamento serão preenchidos, como o fiador e suas informações, renda do candidato e outros documentos.

Validar as informações do Fies

Assim que a sua inscrição for concluída no site, você precisará ir até a instituição de ensino escolhida para validar as suas informações cadastradas diretamente na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (APSA).

Essa validação na CPSA precisa ser feita em até cinco dias úteis depois da divulgação da pré-seleção do Fies, seja por meio eletrônico ou físico. Caso isso não aconteça, você perderá a chance de aprovar o seu financiamento estudantil.

Contratação do Financiamento

Depois de validar todas as informações, o candidato precisa comparecer ao banco escolhido para o seu contrato. Na agência bancária a negociação é concluída, formalizando a contratação do financiamento estudantil.

Esses prazos de inscrição e as etapas do cronograma estão disponíveis a cada semestre, sempre que o Fies publica novo edital.

Saber como funciona o Fies é importante para que você possa aproveitar a oportunidade de ingressar em um curso superior, com mais flexibilidade de pagamento, arcando com as principais parcelas apenas depois da formação.

Portanto, veja se você se enquadra nos requisitos apresentados, faça a sua inscrição e fique de olho no resultado para saber se foi aprovado!

Gostou de saber como funciona o Fies? Restou alguma dúvida sobre o tema? Deixe nos comentários para que outras pessoas também se mantenham atualizadas!

Perguntas frequentes

  1. O que é aditamento do Fies? 

    O aditamento do Fies consiste na renovação da mensalidade relacionada ao contrato do financiamento estudantil. Ela deve ser feita semestralmente, de modo que os estudantes mantenham o contrato ativo e plenamente regularizado.

  2. O que acontece se eu não fizer o aditamento do Fies? 

    O aditamento Fies é obrigatório para continuidade do financiamento estudantil. Caso o aluno não realize a renovação nos semestres, o contrato é cancelado imediatamente.

  3. Estudante que aderir ao Fies e ficar de DP perde o benefício?  

    Não. A dependência na disciplina não afeta o progresso do estudante no curso, desde que tenha aproveitamento mínimo de 75% das disciplinas a cada semestre.

  4. O estudante que já pagou alguma mensalidade do semestre poderá ser ressarcido, caso contrate o financiamento? 

    Sim. Caso o financiamento seja contratado durante o semestre, a instituição de ensino deverá reembolsar o aluno pela parcela semestral já paga ou descontar o valor referente às mensalidades que não foram custeadas pelo Fies.

  5. O percentual do financiamento poderá ser aumentado? 

    Somente alunos bolsistas selecionados do ProUni podem aumentar o percentual de financiamento do FIES. Para isso, é necessário que a bolsa do ProUni seja a mesma do programa e das instituições de ensino as quais você tenha financiamento estudantil.

  6. É necessário ter um fiador para ter acesso ao financiamento? 

    Sim. Nesse caso, existem dois tipos de fianças: convencional e solidária. Estão isentos dessa exigência: bolsistas parciais do ProUni, alunos de cursos de graduação e estudantes cuja renda familiar per capita não ultrapasse um salário mínimo e meio.

  7. É possível solicitar transferência de instituição ou curso sem perder o Fies? 

    Sim. O financiamento estudantil permite que os estudantes troquem de curso ou de instituição de ensino superior. Nesse caso, devem ser considerados os trâmites que envolvem a transferência de uma faculdade para outra ou mudança de curso.

  8. Como funciona o pagamento do Fies?

    Terminando a graduação, os participantes do Fies começarão a pagar os juros do financiamento, após 18 meses de carência. Ele ocorre trimestralmente, com valor máximo de R$150. A princípio, é cobrado o financiamento e a amortização das taxas de juros.

  9. Quanto o Fies financia por semestre? 

    Até 50%, quando a renda familiar bruta mensal per capita e as despesas com educação forem iguais ou superiores a 20%, e inferiores a 40%, distribuídos em cada semestre do ano letivo.

  10. Como deixar de ser fiador de alguém no Fies?  

    No prazo de 60 dias, a contar da notificação do credor, o fiador pode dispensar a fiança por ele assinada, mediante uma carta de exoneração no aditamento.

  11. É possível diminuir as parcelas do Fies?  

    Sim, por meio da renegociação do contrato, conforme as pretensões do contemplado. Vale destacar que, com a amortização do financiamento, as parcelas serão reduzidas naturalmente, aplicando o abatimento da dívida no valor das prestações.

  12. O que é CPSA? 

    A Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) é responsável por validar as informações fornecidas pelo aluno durante a inscrição, além de gerenciar o processo de modificação da renovação do contrato de financiamento.

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade