Tire todas as suas dúvidas sobre como funciona a correção da redação do Enem

Muitos estudantes não sabem como funciona a correção da redação do Enem. Entenda os elementos avaliados que vão colaborar para você conseguir bons resultados!

Muitos estudantes não sabem como funciona a correção da redação do Enem. Esse é um assunto que literalmente deixa os candidatos de cabelo em pé, uma vez que a nota conquistada é importante para a média final. Entender os elementos avaliados vai colaborar para você conseguir um bom resultado.

A pontuação da redação, como todo mundo sabe, tem peso substancial na média final e serve como critério de aprovação em diversos processos seletivos. Logo, obter uma boa classificação é primordial para garantir sua tão sonhada vaga no curso superior.

A banca examinadora avalia cinco pontos principais que os estudantes precisam ser efetivos para buscar a nota 1.000.

Já que você está se preparando para o próximo Enem, veja aqui os detalhes avaliados e outras dicas para ingressar no ensino superior.

Como funciona a correção da redação do Enem?

Primeiro, quem corrige a redação do Enem? Cada texto é corrigido por dois professores formados em Linguística ou Letras. Estes avaliadores são escolhidos em processo seletivo e, após classificados, ainda passam por curso de capacitação.

O INEP organiza, todo ano, uma seleção de profissionais, seguida de vários treinamentos, justamente para que exista uma padronização nas avaliações. Para se ter uma ideia, a média de candidatos para avaliador de redação do Enem chega a 5 mil.

É importante destacar que os profissionais responsáveis pela correção da redação do Enem não têm autonomia para atribuir a nota final à redação. Durante o processo de leitura, um não conhece a pontuação atribuída pelo outro.

Ao entender como funciona a correção da redação do Enem, saiba que os revisores são orientados a observar cinco competências:

  1. Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa;
  2. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa;
  3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista;
  4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação;
  5. Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Ok, então, a partir daí, como funciona a correção da redação do Enem? Primeiro, o avaliador faz uma análise em uma plataforma online. A cada avaliador, são distribuídas 200 redações por dia e a pessoa deve corrigir, pelo menos, 150 diariamente. É bom destacar que nenhum texto é enviado com a identificação do autor. 

Cada redação, como já dito, é direcionada a dois avaliadores. Então, pelo funcionamento do sistema, você já pode perceber que existe uma aleatoriedade para buscar uma avaliação neutra. De posse do texto, o avaliador analisa o desempenho do candidato e atribui sua nota.

Como funciona a nota da redação do Enem?

O próximo passo é entender como funciona a atribuição da nota da redação do Enem. O avaliador deve atribuir, em cada tópico, uma nota de 0 a 200. A pontuação final será a média aritmética, ou seja, a soma das avaliações divididas por cinco, que é o número de competências. Ao final, o participante pode chegar a 1000 pontos.

E se houver discrepância entre as notas dadas por cada avaliador? Sim, isso pode acontecer, então, caso o desempenho tenha uma diferença superior a 80 pontos em uma das competências, a redação segue para um terceiro avaliador.

Depois disso, as duas notas mais próximas serão consideradas e, então, somadas e divididas por dois. O resultado do avaliador que teve discrepância será descartado.

O resultado desta conta será, por fim, a nota da redação do Enem. Parece simples, não é? Mas, mesmo após três correções, o desempenho pode não ter uma conclusão. Nestes casos, o texto do candidato será corrigido por uma banca de avaliadores composta por três docentes. Daí, a nota final será atribuída.

E quando a redação pode ser zerada? Você viu acima todo o fluxo que é seguido para definir uma média que será a nota final da redação. Mas algumas razões levam a anulação do texto, nestes casos, os usuários recebem nota zero.

Segundo o Guia do Participante, a redação do Enem é zerada quando:

  • Houver fuga total do tema;
  • A redação tiver extensão de até sete linhas manuscritas ou dez linhas em Braille;
  • O autor não obedecer ao modelo dissertativo-argumentativo;
  • O autor copiar os textos da prova de redação ou do caderno de questões sem, no entanto, redigir pelo menos oito linhas próprias;
  • Deixar a folha de redação em branco;
  • Texto ilegível que impossibilite a leitura;
  • Texto escrito predominantemente em língua estrangeira.
  • Assinar a prova fora do local designado ou indicar qualquer tipo de identificação; 
  • Trecho desconexo do tema proposto;
  • Inserir números ou sinais gráficos sem função clara no texto;
  • Atribuir desenhos ou impropérios na folha de redação.

Veja aqui quais são as matérias que mais caem no Enem, teste seus conhecimentos e revise os conteúdos que você tem mais dificuldades.

Banner amarelo com um botão para baixar o Ebook: Guia definitivo para criar um cronograma de estudos
Preparamos um super conteúdo para você! Receba agora o guia definitivo para criar um cronograma de estudos!

Como funciona a correção da redação do Enem de candidatos com deficiência?

Apenas em 2020, mais de 47 mil estudantes com alguma deficiência ou transtornos fizeram a prova do Enem.

No sentido da redação da prova, o Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005, determina a adoção de medidas para facilitar a aplicação do Enem para deficientes auditivos.

Anos depois foi possível uma mudança para aceitar a redação do Enem em escrita braille e a adoção de banca examinadora específica para a correção dos textos.

Candidatos com dislexia têm textos corrigidos conforme as especificidades relacionadas à condição. Pessoas com Transtorno do Espectro Autista têm, desde a edição de 2020, textos avaliados por uma banca especializada. Os critérios obedecem ao inciso VI do art. 30 da Lei nº 13.146, de 6 de junho de 2015.

É possível perceber aqui, neste texto sobre como funciona a correção da redação do Enem, que esta fase do exame tem suas peculiaridades bem definidas e complexas, tudo para buscar uma isonomia na nota final.

Contudo, existem casos comuns que não são controlados e que podem permitir um recurso pelo candidato.

Neste sentido, é muito comum casos em que estudantes questionam o desempenho final e abrem um recurso para pedir reavaliação. O MEC também costuma divulgar as redações nota mil e estas servem de objeto de estudos em diversas instituições.

Agora que já explicamos como funciona a correção da redação do Enem, que tal treinar e melhorar o seu texto com nossas dicas:

A Uninassau oferece graduação tradicional e EAD, além de algumas modalidades profissionalizantes que são mais curtas e vão te deixar pronto para o mercado de trabalho. Veja os cursos disponíveis e faça sua matrícula!

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade