Educação financeira: Um guia completo

Neste artigo, trouxemos informações exclusivas para você desenvolver uma educação financeira completa na administração do seu dinheiro. Confira!

A educação financeira consiste basicamente em saber administrar seu dinheiro.  

Isso significa aprender como pagar suas contas, como pedir emprestado e economizar dinheiro com responsabilidade e como e por que investir e planejar a aposentadoria. 

Tome a iniciativa de se auto educar e aumentar seu conhecimento financeiro, começando com o básico de gerenciamento de dinheiro e amadurecendo em um administrator inteligente.  

Dedicar tempo ao seu desenvolvimento financeiro melhora as decisões de poupança e investimento.  

Ao alavancar recursos – como tempo, talento, dinheiro e a capacidade de estabelecer bons hábitos – você pode construir um pé-de-meia duradouro.

É por isso que elaboramos esse conteúdo exclusivo para você desenvolver essas habilidades. Boa leitura! 

O que é educação financeira?

Gerenciar seu dinheiro é uma habilidade pessoal que o beneficia ao longo da vida, no entanto, não é algo que todo mundo aprende da maneira correta.  

Com dinheiro entrando e saindo, com datas de vencimento e encargos financeiros e taxas anexadas a faturas e contas, e com a responsabilidade geral de tomar as decisões corretas, muitas vezes parece assustador 

Você pensaria que porque as apostas são tão altas que essa deveria ser uma habilidade que é ensinada no ensino médio (ou mesmo antes), mas infelizmente isso não acontece em muitos casos.  

Gerenciar seu próprio dinheiro requer uma compreensão fundamental do crédito pessoal e uma vontade de abraçar a responsabilidade pessoal.  

Ou seja, você paga suas contas em dia e não se afoga em dívidas. Você aceita o fato de que às vezes precisa sacrificar demandas e desejos imediatos para obter ganhos de longo prazo. 

Nesse sentido, o principal objetivo é proteger suas economias e multiplicar os seus recursos. Quando você gasta, você gasta com sabedoria. Quando você faz grandes compras, você o faz por coisas que valem a pena. 

Você entende a diferença entre dívida boa e dívida ruim. E você presta atenção constantemente ao seu portfólio geral: ganhos, economias e investimentos. Você também entende o que não sabe e pede ajuda quando precisa. 

Dessa forma, a educação financeira promove a capacidade de não deixar o dinheiro – ou a falta dele – atrapalhar sua felicidade enquanto você trabalha duro e constrói um sonho com uma aposentadoria longa e gratificante. 

Como gerenciar seu dinheiro

Lidar com suas finanças da maneira certa deve ser uma prioridade e deve orientar seus gastos diários e decisões de economia.  

Especialistas em finanças pessoais aconselham dedicar um tempo para aprender o básico, desde como gerenciar uma conta corrente ou de débito até como pagar suas contas em dia e construir estabilidade a partir daí. 

Gerenciar seu dinheiro exige atenção constante aos seus gastos e às suas contas e não viver além de seus meios financeiros. 

Educação financeira: gerenciamento bancário

O desenvolvimento da perspicácia financeira começa com a abertura de uma conta bancária.  

Depois de ter um cheque de pagamento, configure o depósito direto. Isso mantém seu dinheiro seguro e evita que você pague juros a empresas de adiantamento de dinheiro que cobram uma porcentagem do seu cheque. 

Ter uma conta bancária proporciona comodidade, acesso a uma variedade de benefícios e segurança.  

Cheques e cartões de débito oferecem comprovante de pagamento para que você tenha um registro das transações mostrando para onde vai o seu dinheiro 

Existem várias opções para o tipo de conta principal para salvar seus contracheques. A maioria das pessoas escolhe uma conta corrente, débito ou poupança ou uma combinação dessas.  

Essas contas permitem que você configure pagamentos automáticos de contas mensais e oferecem a facilidade de não andar com dinheiro em espécie.  

Cada opção vem com certas vantagens e desvantagens. Avalie as várias taxas de cheque especial, mensal, retirada e outras taxas de manutenção que acompanham as opções de conta. 

Os especialistas recomendam que você tenha uma conta poupança que possa usar para lidar com despesas financeiras inesperadas e emergências, como um braço quebrado, pneu furado ou aumento nas mensalidades escolares. 

Optar por abrir apenas uma conta corrente ou poupança pode ser uma má escolha, pois ter os dois tipos de contas distinguir entre o dinheiro disponível para gastos imediatos e as reservas, destinadas a longo prazo.  

Manter todo o seu dinheiro em uma conta corrente significa que suas economias são facilmente acessíveis e disponíveis para gastar. Você vai perder os juros gerados por uma conta poupança. 

Com dinheiro em uma conta, você pode começar a gastar. É aqui que você precisa de discrição. Aprenda a diferenciar entre necessidades e luxos.  

Por exemplo, você precisa pagar pela limpeza dentária anual, mas deseja pagar a consulta no salão. Aproveite o internet banking para obter atualizações sobre quanto você está gastando e quanto permanece em sua conta. 

A melhor maneira de alavancar o dinheiro que você tem em sua conta bancária será começar a mensurar o orçamento imediatamente. 

Educação financeira: importância do orçamento

Um dos primeiros alicerces de um plano de finanças pessoais bem-sucedido é a capacidade de fazer um orçamento.  

Embora seja fácil de entender, também é difícil de fazer porque requer um olhar duro no espelho e uma vontade de ver o que realmente olha para você. 

O orçamento exige que você análise e, provavelmente, mude seus hábitos de consumo. Em vez de seu dinheiro controlar você, você controla seu dinheiro. Desenvolva hábitos para economizar, evitar crises financeiras e manter a tranquilidade são os pilares da educação financeira. 

Um plano de orçamento bem-sucedido define claramente: 

  • Como seguir um plano de gastos mensais;
  • Maneiras de reduzir suas contas mensais; 
  • Como lidar com a dívida acumulada; 
  • Opções de pagamento de dívidas; 
  • Como distinguir entre objetivos de curto, médio e longo prazo; 
  • Uma divisão das necessidades da família. 

Noções básicas de finanças pessoais

Como você começa a fazer o orçamento? Simples: você mergulha de cabeça.  

Você precisa ver exatamente como está gastando seu dinheiro e identificar onde estão seus buracos financeiros. Confira: 

1. Comece a acompanhar suas despesas mensais

Em um caderno ou aplicativo móvel, escreva sempre que gastar dinheiro. Seja diligente sobre isso, porque é fácil esquecer. Esta é a base para o seu orçamento. 

2. Identificar despesas fixas e variáveis

Despesas fixas são aquelas que você tem todo mês: aluguel, IPTU, pagamento de carro, luz, conta, conta de água, pagamento de Financiamento estudantil.  

Despesas variáveis ​​são custos que sobem e descem a cada mês e aqueles que vêm e vão:  mantimentos, suprimentos para animais de estimação, cortes de cabelo, ingressos para shows, dentre outros. 

3. Some os totais

Após 3 meses, calcule quanto você está gastando, em média, por mês.  

Isso é essencial para você analisar as categorias mais relevantes. 

4. Estude suas despesas variáveis

Este é o lugar onde a maioria das pessoas tendem a gastar mais. Decida o que lhe dá mais prazer com essas despesas mensais que você sente que esses custos valem a pena? E quais você pode realmente fazer sem? Seja honesto e comece a cortar. Este é o começo das decisões difíceis. 

5. Fator na economia

Uma parte fundamental do orçamento é que você deve sempre pagar a si mesmo primeiro. Ou seja, você deve pegar uma parte de cada contracheque e colocar na poupança.  

Esta prática, se você conseguir torná-la um hábito, pagará dividendos (literalmente em muitos casos) ao longo de sua vida. 

6. Defina seu orçamento

Comece a fazer os cortes necessários em suas despesas fixas e variáveis.  

Decida o que você deseja economizar a cada semana ou a cada duas semanas. O dinheiro que sobra é o quanto você tem para viver. 

7. Abra uma conta digital

As contas digitais chegaram para descomplicar a rotina de quem não tem tempo a perder e busca simplicidade e facilidade no dia a dia. Sem dúvidas, ela é uma ótima opção para quem cansou das burocracias dos grandes bancos, que oferecem contas correntes tradicionais com taxas absurdas.

Sendo assim, com a conta digital, você poderá.

  • Realizar transações financeiras de forma rápida e descomplicada;
  • Conquistar um controle financeiro;
  • Ter mais economia;
  • Mobilidade e flexibilidade;
  • Ter segurança digital.

Uma grande vantagem desse serviço é que ele está disponível também para empreendedores, por meio da Conta Digital PJ. Trata-se da modalidade ideal para ajudar a crescer e administrar o seu negócio e ganhar mais autonomia. Ela também oferece ao cliente diversas vantagens em relação aos bancos tradicionais.

Agora que você já sabe como organizar suas finanças pessoais, que tal aprofundar seus conhecimentos? No curso de educação financeira da Uninassau você adquire informações exclusivas. Matricule-se agora mesmo! 

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email e participe da comunidade